Diretor do Santander envolvido em corrupção

Postado: 14 de Novembro de 2017 - 15h40

Em meio à onda de corrupção no país, o diretor de Planejamento Tributário do Santander, Reginaldo Ribeiro, e mais três pessoas, entre elas o auditor da Receita Federal, Eduardo Cerqueira Leite, foram denunciados pelo MPF (Ministério Público Federal), por envolvimento em um esquema de corrupção que facilitava o banco com R$ 83 milhões em recuperação creditos tributários. 

A investigação, que faz parte da Operação Zelotes da Polícia Federal, mostrou que o Santander simulou, em 2013, contratos com uma empresa de consultoria, a Lupe Consultoria, que facilitava a compra de decisões favoráveis à própria empresa na Delegacia Especial de Receita de Instituições Financeiras, em São Paulo (Deinf-SP).

Após os processos favoráveis, o banco foi beneficiado com R$ 83 milhões. E a Lupe recebeu R$ 5 milhões como agrado, separando R$ 1,5 milhão para deixar na delegacia. E tudo constava no e-mail que foi interceptado pela PF, no qual os valores foram fixados por Cerqueira Leite.

O servidor já é ficha suja, sempre procurava as empresas financeiras para oferecer seus serviços. E já tem a acusação de chefiar uma organização criminosa voltada para beneficiar bancos, com o mesmo crime, como o Bradesco e o Safra.

Os dois foram condenados pelo MPF. Para o diretor do Santander são atribuídos crimes de corrupção ativa, lavagem e organização criminosa, além de ter sido responsável com os tratos com a Lupe. Já Cerqueira Leite, é acusado de denúncia de corrupção ativa, lavagem de dinheiro e organização criminosa. 

Outras Noticias

Jornal

Enquete

Qual é a maior mentira do governo Temer?

Resultado

Publicações Especiais

Retrato do Adoecimento no Setor Bancário