Artigo

Colapso Sanitário e Hospitalar

Postado dia: 29/03/2021 - 00:00

O Cientista Miguel Nicolelis em 04 de março em entrevista ao jornal El País, argumentou que o Brasil  nas próximas semanas  poderia atingir 3000 mortes diárias, se medidas corretas não fossem viabilizadas entre elas o lockdown  nacional.. Em 23/03/21, foram 3.158 perdas humanas

 

Já são 312.299 mortes no Brasil, a situação já chegou a tal ponto que o país está em colapso sanitário e hospitalar, em 25/03/2021, havia 6.370  pessoas com covid-19 na fila de espera para UTI, se medidas eficientes não forem tomadas, podemos evoluir para um colapso funerário e a consequente  proliferação de novas doenças.

 

A situação que o Brasil vive hoje, poderia ser  evitada, vejamos alguns exemplos. O Vietnã, seguindo as orientações da ciência conseguiu controlar a epidemia e desde março de 2020 até hoje houve apenas 35 mortes, assim como dezenas de países que conseguiram preservar vidas com medidas eficientes.

 

O Reino Unido que chegou a ter 1825 mortes dia 20/01/21 e de 19/01/21 a 28/01/21 a média diária de perdas humanas foi de 1167, com lockdown e demais medidas preventivas conseguiu reduzir esta media do dia 19/03/21 a 28/03/21 para 43 mortes diárias, no Brasil neste mesmo período a média foi de 2.200 perdas humanas.

 

Em meados de 2009, a OMS-Organização Mundial da Saúde, decretou estado de pandemia em função do H1N1, o governo brasileiro tomou todas as medidas necessárias e conseguiu vacinar 92 milhões de pessoas  em apenas 3 meses, o número de perdas humanas foi de cerca de 800.

 

A política institucional do governo federal de propagação do vírus, se colocando o tempo todo contra as medidas preventivas não pode continuar. Tem transformado o Brasil numa ameaça também a outros países, considerando que a pandemia não está controlada e que novas cepas vão surgindo aumentando a possibilidade de uma maior letalidade e  uma transmissão mais veloz.

 

*Álvaro Gomes é diretor do Sindicato dos Bancários da Bahia e presidente do IAPAZ