Artigo

A Bahia é ouro, o Brasil é ouro

Postado dia: 10/08/2021 - 00:00

O Brasil teve um excelente desempenho nas olimpíadas de Tóquio com a conquista de 21 medalhas sendo 7 de ouro, das quais a Bahia foi responsável por três,  com Ana Marcela na maratona aquática, Isaquias Queiroz na canoagem e Hebert Conceição no Box. Foi o melhor resultado em todas as olimpíadas, mas este fato não aconteceu ao acaso, os investimentos nos governos Lula e Dilma foram fundamentais.


Um fato marcante para o esporte se deu a partir do artigo 217 da Constituição Brasileira de 1988, onde diz que “É dever do Estado fomentar práticas desportivas formais e não-formais, como direito de cada um”. Um outro momento importante foi a criação do Ministério Extraordinário do Esporte em 1995, posteriormente extinto e criado em 1998 Ministério do Esporte e Turismo. 


É importante ressaltar, entretanto que o principal marco do fortalecimento das atividades esportivas no Brasil se deu a partir da criação do Ministério do Esporte em 01 de janeiro de 2003 no início do governo Lula. O resultado das olimpíadas tem relação com a prioridade que o governo federal deu através de investimentos e do aperfeiçoamento da legislação na área.


Infelizmente o governo Bolsonaro, extinguiu o Ministério do Esporte e vem desmontando as políticas públicas esportivas. Segundo levantamento do Brasil de Fato 05/08/21, o bolsa atleta sofreu uma redução na preparação dos jogos de Tóquio, onde o valor destinado ao programa foi de 530,4 milhões enquanto que para as olimpíadas do Rio período 2013 a 2016 o montante foi de 641,1 milhões, desde a criação do programa em 2005, foi a primeira vez que ocorreu esta redução.


Das sete medalhas de ouro, 3 são da Bahia, isto mostra o potencial da Bahia no esporte de alto rendimento e que precisa investimento e planejamento para crescer ainda mais. Mostra o potencial do Brasil na área esportiva. Esperamos que o atual ciclo destrutivo das políticas públicas se encerre o mais rápido possível para a retomada do desenvolvimento e o incentivo ao esporte.


O esporte é um direito fundamental de todos, com benefícios para educação, para a saúde física e mental, contribui também para o surgimento de novos atletas de alto rendimento e coloca o Brasil no patamar dos grandes países desenvolvidos.


*Álvaro Gomes é diretor do Sindicato dos Bancários da Bahia e presidente do IAPAZ