Artigo

Cidadão de Bem em nome de Deus

Postado dia: 18/08/2021 - 00:00

Mesmo sendo protegidos pelo governo Bolsonaro, alguns cidadãos de bem foram presos por ataque aos direitos humanos e a democracia. Vejamos alguns exemplos: Sara Geromini, em 15/06/20, Dr. Jairinho em 08/04/21; Deputado Daniel Silveira em 16/02/21; Roberto Jeferson e Flordelis em 13/08/21. Todos se dizem cristãos e tem como slogan “O Brasil acima de tudo e Deus acima de todos”.


Em nome de Deus o que observamos são verdadeiros criminosos colocando em risco a democracia e os direitos humanos.  Vejamos resumidamente o porque das prisões: Sara Geromini, com o movimento 300 do Brasil realizava manifestações contra a democracia e com ataques ao Supremo Tribunal Federal


Dr Jairinho Vereador do Rio de Janeiro, preso acusado de assassinar seu enteado Henry Borel de 4 anos e denunciado também pelo Ministério Público pelos crimes de estupro, lesão grave, vias de fato, cometidos  contra uma ex namorada durante o período que se relacionavam entre 2014 e 2020.
Deputado Federal Daniel Silveira, preso em 16/02/21 acusado de ataque aos direitos humanos, as instituições e a democracia, defesa da intervenção militar e esquema de propagação de notícias falsas. Em 2018 Daniel Silveira quebrou a placa que homenageava a vereadora Marielle Franco depois de ter sido assassinada por milicianos.


Presidente do PTB Roberto Jeferson foi preso em 13/08/21, acusado de inúmeros crimes, entre os quais a incitação para assassinato de policiais, incitação ao crime, apologia ao criminoso, organização criminosa, tentar mudar a ordem, o regime vigente ou o estado de direito, fazer  propaganda de processos violentos e ilegais para alteração da ordem política.
A deputada Flordelis, teve seu mandato cassado de Deputada Federal em 11/08/21 e foi presa em 13/08/21 acusada de ter mandado assassinar o seu marido o pastor Anderson do Carmo.


E o que se considera cidadão de bem no palácio do planalto, é defensor da tortura, das milícias, de extermínio de quem pensa diferente e na pandemia da covid-19 foi principal responsável pelas 569 mil mortes, por  ter uma posição negacionista, inviabilizar vacinas e desenvolver uma política institucional de propagação do vírus.


Assim os denominados cidadãos de bem cometem as mais absurdas atrocidades e tudo isso em nome de Deus.


*Álvaro Gomes é diretor do Sindicato dos Bancários da Bahia e presidente do IAPAZ