Artigo

Ostentação agora é a vacinação

Postado dia: 01/02/2022 - 00:00

A vida nos ensina o valor do tempo e o tempo nos ensina o valor da vida. Para além das festas, dos bares e das rodas de amigos, dos tênis caros e das roupas de marca, um novo “valor” surge com ares de moda: a vacinação. Ostentação agora é a quantidade de vacinas contra o Covid-19.


A Vigilância Epidemiológica em Saúde da Bahia (Divep-BA), registrou que 11.163.665 baianos iniciaram o esquema vacinal contra a doença, sendo 78,3% do público alvo representado por adultos e idosos.


Daquele montante total, 9.040.834 foram vacinados com a segunda dose e 1.811.592 conseguiram completar o esquema vacinal com a dose de reforço. Do público de 5 a 11 anos, 56.315 crianças já foram imunizadas.


Surge mais uma campanha: “Dia das Crianças é Dia de Vacina”. As doses estão disponíveis para todas as crianças, residentes em qualquer município da Bahia. A Secretaria de Saúde do Estado (Sesab) entrou na fase de prevenção e chega a vez dos pequenos, de 5 a 11 anos, inclusive aqueles com comorbidades e/ou deficiência permanente, se imunizarem com a Pfizer.


Já as doses da Coronavac estão disponíveis para crianças e adolescentes da faixa entre 6 a 17 anos, exceto para aquelas com deficiência permanente e/ou comorbidades, além das gestantes e puérperas.


A população segue esperançosa pela retomada da vida presencial, que caiam as máscaras e que a imunização dê lugar à transparência dos sorrisos. Na torcida segue firme a paixão pela folia e pelos festejos religiosos que transcendem o carnaval.


Após quase dois anos de privações, entramos em 2022 mais próximos do antigo normal, mantendo a liberação presencial nas escolas e no comércio.


FESTEJOS BAIANOS


A pandemia atingiu em cheio, também, o calendário dos festejos que sempre marcou o verão da Bahia, recheado por tradicionais celebrações. Das 11 festas populares, já se foram sete, faltando quatro grandes festas.


Fevereiro abre com a Lavagem de Itapuã, no dia 1º. Em seguida, no dia 2, a saudação é para a Rainha do mar... Yemanjá. Uma das maiores festas populares religiosas públicas do candomblé que, historicamente, atrai milhares de baianos e turistas ao Rio Vermelho. Mas as chamadas festas de largo perderam seu brilho, encanto e beleza para essa pandemia. Assim como o carnaval e as festas juninas. Mais um ano... 
Mas com o avanço da imunização e se cada um continuar fazendo sua parte nas medidas de prevenção, fica cada vez mais forte a certeza de que dias melhores estão chegando. Ostentação ou não, viva a vacinação!

 

Márcia Athayde é jornalista, tendo atuado como repórter e também nas assessorias de imprensa da Seagri e do Sindicato dos Bancários da Bahia.