Artigo

Vacinação completa salva vidas

Postado dia: 16/03/2022 - 00:00

Um levantamento da Secretaria da Saúde aponta que os óbitos por Covid-19 em não vacinados é quase 26 vezes maior do que em vacinados em São Paulo. O estudo analisou 8.283 mortes inseridas pelos 645 municípios no sistema Sivep-Gripe entre 5 de dezembro de 2021 e 26 de fevereiro de 2022. O número de mortes entre não vacinados foi de 332 por 100 mil habitantes e dos que estavam com vacinação completa foi de 13/100.000. (https://www.saopaulo.sp.gov.br/noticias-coronavirus/covid-19-mata-26-vezes-mais-os-nao-vacinados-em-sao-paulo/).


Um outro dado também muito ilustrativo da importância da vacinação em nível nacional aponta que, de 01 de janeiro de 2021 para 13 de março do mesmo ano, houve 3.695.485 casos notificados e 81.775 mortes. Nesta época, apenas 1,66 % da população estava com vacinação completa. Neste mesmo período em 2022, com 74% da população com a vacinação completa, foram 7.114.070 casos e 36.000 mortes (Worldometer). Ou seja, quase o dobro de casos notificados com um número de perdas humanas bem menor.


Os dados apontados indicam que milhares de perdas humanas seriam evitadas caso não fosse dificultada o processo de vacinação por parte do governo federal. O Brasil, através do SUS- Sistema Único de Saúde, possui o melhor sistema de vacinação do mundo. A população inteira já estaria vacinada nos primeiros meses de 2021, caso não houvesse tantas ações do presidente da república para impedir a vacinação, incluindo aí as fake News espalhadas de forma criminosa.


Os negacionistas e muitos representantes do movimento antivacina contraditoriamente se vacinaram, alguns escondidos, outros viajaram para se imunizar no exterior, outros a covid não perdoou, perderam suas vidas, seja por um impulso suicida ou vítimas de sua própria ignorância. O presidente da República anda dizendo nos quatro cantos que não se vacinou, mas solicitou sigilo na sua carteira de vacinação por 100 anos.


A pandemia ainda não acabou, os cuidados preventivos são fundamentais, ainda que não seja obrigatório o uso de máscara e retorne as atividades com grandes aglomerações, não significa que você não deva se prevenir, em alguns casos usando máscara, em outros evitando aglomeração e o principal de todos, o sistema vacinal completo.


*Álvaro Gomes é diretor do Sindicato dos Bancários da Bahia e presidente do IAPAZ