Entrevista

Ressignificar a aposentadoria

Postado dia: 26/01/2022 - 09:00

O Sindicato acaba de lançar uma iniciativa inédita voltada para os aposentados ou quem está em vias de aposentar. É o programa Vida é Movimento. Em entrevista ao jornal O Bancário, a diretora dos Aposentados do SBBA, Patrícia Ramos, fala sobre o projeto. Para ela, é preciso ressignificar essa nova etapa da vida. 

 

Alan Barbosa

 

O Bancário - Resumidamente, o que é o programa Vida é Movimento?

Patrícia Ramos - O programa tem por objetivo conscientizar e mobilizar os aposentados sobre a necessidade de se manterem ligados ao Sindicato, não apenas como estratégia de assegurar direitos, mas também como ponto de referência para ressignificar essa nova etapa da vida.

O Bancário - De onde surgiu a ideia de algo tão diferente do que costumamos ver nos sindicatos?

Patrícia Ramos - Nossa forma de trabalhar com nossos colegas nas agências nos permite tê-los, em sua grande maioria, muito perto de nós. Assim, costumamos ouvir suas alegrias, dificuldades, seus desabafos e queixas. Uma delas foi sobre aposentadoria, principalmente diante desde período marcado pela perda de benefícios. Após a minha aposentadoria passei a entender melhor as questões que nos aflige, que vão além do trabalho ou financeiro.

O Bancário - Podemos dizer, então, que é algo inédito?

Patrícia Ramos - Sim, porque fizemos um link com as ações que são tidas e esperadas do Sindicato ao longo de sua existência, voltados exclusivamente para as questões trabalhistas, econômicas. Percebemos que há outros aspectos tão importantes quanto, que somam um ser integral, e que deveríamos ampliar esse olhar e atenção. Podemos sim criar possibilidades e condições de proporcionar esse espaço de construção para nos ajudar através dos vários recortes, nos proporcionando mais segurança, tranquilidade e leveza, a partir de um coletivo disposto a dar as mãos para esse momento.

O Bancário - A construção do projeto foi um trabalho solitário ou feito por muitas mãos?

Patrícia Ramos - Comecei a conversar com várias pessoas sobre o tema, e quem sempre esteve comigo mais diretamente foi o colega Ney Sá (jornalista da Imprensa do Sindicato). Por termos uma visão mais sistêmica, identificamos a possibilidade real e inédita que, embora haja algumas associações voltadas a esse segmento, o formato que gostaríamos de dar ainda não havia sido visto.

O Bancário - O programa é voltado só para aposentados? Só para a categoria bancária?

Patrícia Ramos - Esse trabalho tem o potencial de beneficiar não apenas os bancários, mas trabalhadores e trabalhadoras que chegam à maturidade. Por mais que sejam oriundos de outras áreas do mercado de trabalho, as abordagens do Sindicato poderão ser referência para que permaneçam, na maturidade, com o contraponto necessário à construção da sociedade mais justa e igualitária que precisamos.

O Bancário - Como as pessoas podem participar ou ajudar na construção coletiva da iniciativa?

Patrícia Ramos - Já temos o e-mail [email protected] para recebermos sugestões e opiniões. Também teremos um link na nossa página onde constará as informações e produções, assim como uma coluna para pequenos artigos que queiram escrever. Criaremos uma rede de troca de serviços e habilidades, enquetes, cards, pequenos vídeos para compartilhamento que nos seja pertinente, disponibilizando os endereços no nosso espaço.

O Bancário - Como se dará a participação dos diversos departamentos do Sindicato neste programa?

Patrícia Ramos - Os departamentos deverão ter a responsabilidade de munir o programa com as informações pertinentes ao recorte geracional, no caso a aposentadoria. Para que possa ser mais fácil, poderão ser enviados links com as especificidades de cada setor para o programa encontrar o assunto.