COLUNA SAQUE

Postado: 30/06/2022 - 14:05

DEGRADAÇÃO
Ironia do destino. Bolsonaro, o “mito incorruptível” que fala tanto em “gente de bem, patriotismo, família e Deus”, está se decompondo em escândalos no MEC por uso da religião para enriquecimento ilícito e fins eleitoreiros, assédio sexual, assassinatos na floresta, privatizações lesa-pátria, maus-tratos ao povo. Cinismo bolsonarista. O governo desaba.

 

AGRAVANTES
Com os novos episódios sobre a corrupção no MEC e agora o caso de assédio sexual na Caixa, a tendência é Bolsonaro, já em desvantagem, amargar uma queda ainda maior nas pesquisas da corrida presidencial. À medida que a eleição se aproxima, novos escândalos elevam o grau de dificuldades para o projeto de reeleição.

 

AVISO
Soa como ameaça, a declaração do senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ) ao Estadão, de que o presidente não será culpado caso os bolsonaristas não aceitem o resultado das urnas, se rebelem e partam para a ignorância. Também serve de alerta às autoridades encarregadas de manter a ordem. Para depois não alegarem que foram surpreendidas.

 

FATAL
Durante entrevista à ultraconservadora Fox, Bolsonaro mais uma vez implora intervenção de Biden para salvar a agenda ultraliberal no Brasil. Disse que a vitória de Lula vai deixar toda a América Latina “vermelha”. Ridículo. Hoje, EUA e militares nativos não o livram da rejeição popular pela via democrática. Só se reelege no “tapetão”.

 

EXPECTATIVA
Sensação de alivio entre as funcionárias da presidência da Caixa com a demissão de Pedro Guimarães, por assédio sexual. Espera-se melhor ambiente com a nova presidente, Daniella Marques, inclusive a redução do assédio moral, que tem adoecido muitos empregados. Ela também é ultraliberal. O lucro vem primeiro e o ser humano depois.