COLUNA SAQUE

Postado: 01/07/2022 - 13:26

DESAFORO
Em um momento quando o Brasil mais necessita do respeito à ordem constitucional, à legalidade, para superar o arbítrio e resgatar a democracia, é muito desaforo do general da reserva Braga Netto, pré-candidato a vice de Bolsonaro, ameaçar suspender as eleições do dia 2 de outubro próximo. As instituições precisam reagir à altura. Logo.

 

INSANIDADE
Quem Braga Netto pensa que é para ameaçar com o cancelamento da eleição? Tem respaldo de quem para executar o crime? Imagina-se que as Forças Armadas, o sistema financeiro, o agronegócio e o Centrão, apesar da irresponsabilidade de sustentarem Bolsonaro, não seriam tão insanos ao ponto de apoiarem tamanha delinquência.

 

APAVORADOS
A ameaça às eleições reflete o pânico que toma conta do governo com a possibilidade concreta de Bolsonaro ser derrotado nas urnas e acabar preso, juntamente com os filhos e auxiliares, inclusive o general da reserva do Exército Braga Netto, que agora intimida o Brasil com a interrupção do calendário eleitoral. Estão morrendo de medo.

 

INDECÊNCIA
A aprovação pelo Senado de um falso Estado de emergência para permitir Bolsonaro gastar R$ 40 bilhões com “bondades” artificiais, às vésperas da eleição, é uma imoralidade própria de um país com democracia precária, minimalista, estilo regime de exceção. Apesar do crime, dificilmente evitarão a derrota do neofascismo bolsonarista.

 

TÉTRICO
Na entrevista à Fox, de linha ultraconservadora, Bolsonaro expõe ao mundo o horror neofascista que apavora o Brasil. Em consonância com a extrema direita internacional, o presidente brasileiro fez pouco caso do desmatamento da Amazônia, do racismo e do feminicídio, atacou a vacina, defendeu a cloroquina e as armas. Vexaminoso.