Notícia

[Itaú descumpre acordo e demite funcionários ]

Itaú descumpre acordo e demite funcionários 

Postado dia: 16/09/2020 - 11:09

O Itaú descumpriu o compromisso firmado de não demitir funcionários durante a pandemia de Covid-19. Apenas na área de Veículos foram 130 demissões, fora as realizadas nas agências, principalmente nos cargos de gerência e de caixa. Por conta disso, a COE (Comissão de Organização dos Empregados) se reuniu com representantes do banco para cobrar respostas e a realocação dos bancários, nesta terça-feira (15/09). 

 

Segundo a empresa, 70% dos trabalhadores da área de Veículos que, inicialmente, seriam demitidos, foram realocados. Mas, a COE cobrou mais transparência nos números de empregados que serão atingidos pelas mudanças e que todos sejam realocados em outras áreas do Itaú.  


Nem mesmo o lucro de mais de R$ 28 bilhões em 2019 impede o Itaú de colocar para fora os trabalhadores que tanto colaboram para a lucratividade alta. Enquanto coloca os bancários para fora, o maior banco privado do país desenvolve uma campanha para esconder as ações, mostrando o lado humano da empresa na pandemia. 


E só piora. O Itaú também tem demitido funcionários doentes e até mesmo quem tinha recebido prêmios por bom desempenho. O banco precisa realizar exames demissionais criteriosos. "Lamentável a postura do banco de demitir pais e mães em um momento tão delicado como esse, como explicar tamanha maldade? Como justificar demissões de colegas doentes que nesse momento de caos no Inss não vão conseguir nem mesmo passar por uma perícia presencial?", ressaltou a diretora de Saúde e membro da COE Itaú, Andreia Sabino.

 

Para o movimento sindical, o descaso levanta o questionamento para a volta das homologações serem feitas nos sindicatos da categoria. O tema será um dos pontos discutidos nas próximas reuniões entre a COE e os representes da empresa. "Lamentável a postura do banco de demitir pais e mães em um momento tão delicado como esse, como explicar tamanha maldade? Como justificar demissões de colegas doentes que nesse momento de caos no INSS não vão conseguir nem mesmo passar por uma perícia presencial?", questiona a diretora de Saúde da Federação dos Bancários da Bahia e Sergipe, Andreia Sabino.