COLUNA SAQUE

Postado: 12/01/2021 - 10:42

ESTÁ PIORANDO
O ano começa péssimo para o governo Bolsonaro, com tragédias econômicas que afetarão drasticamente a governança e a governabilidade. Só que as piores consequências se abaterão sobre o povo. Como o fechamento da Ford e da Mercedes Benz no Brasil, de 361 unidades do BB com 5 mil demissões e o fim do auxílio emergencial. A crise se agrava.

 

SERÁ TERRÍVEL
O fim das operações da Ford no Brasil terá um impacto considerável e pode provocar efeito cascata. Em Camaçari, os reflexos do fechamento da planta serão devastadores não apenas sobre as empresas satélites do pólo industrial, mas também no comércio da cidade e de toda região. A indústria gerou uma vasta e complexa rede de relações comerciais de varejo.

 

FAZ PARTE
A dispensa de 5 mil funcionários com o fechamento de 361 unidades do Banco do Brasil é a radicalização de processo semelhante que vem ocorrendo também na Caixa e muitas outras estatais rentáveis e estratégicas para o desenvolvimento e a soberania nacional. É o desmonte do Estado brasileiro, que Bolsonaro promove para cumprir a pauta ultraliberal.

 

NA CONTRAMÃO
A economia brasileira prestes a entrar em colapso total. Os exemplos mundialmente exitosos na superação das crises econômica e sanitária se fazem por grandes investimentos estatais. Mesmo assim, Bolsonaro e Guedes insistem no desmonte do Estado, nas privatizações lesa-pátria, nos cortes dos direitos e das liberdades. Ultraliberalismo periférico.

 

É ARMADILHA
Duas rápidas observações sobre a tentativa de transferir, dos estados para a União, o controle das policias Militar e Civil. Proposta sugere inconstitucionalidade por alterar competências de entes da Federação. Depois, ficam evidentes as pretensões de setores das elites no avanço de um projeto de poder centrado no autoritarismo, no domínio absoluto.