COLUNA SAQUE

Postado: 18/02/2021 - 11:14

SÉRIO DILEMA
O caso Daniel Silveira é complexo e delicado. O Brasil pode descambar ainda mais para o arbítrio, para o autoritarismo, ou então dar um passo firme na retomada do Estado democrático de direito. Desta vez, o STF cumpriu o papel de guardião da Constituição. Tomou tenência. Agora cabe ao Congresso se posicionar. De que lado está? Do neofascismo ou da democracia?


NOVA CHANCE
A prisão do deputado bolsonarista Daniel Silveira (PSL-RJ), negacionista insano e violento, é justa e legal. Agora, na política, dificilmente as decisões são tomadas com base em justiça e legalidade. Prevalecem sempre os interesses dos grupos que detêm o poder. Mais uma vez a história oferece ao Parlamento a chance de resgatar a dignidade perdida em 2016. Expectativa.

 
CRIMES GRAVES
Propositadamente, o poderoso esquema de comunicação do neofascismo bolsonarista, inclusive a mídia comercial, atua para confundir a sociedade sobre os limites da liberdade de expressão. Daniel Silveira não foi preso por emitir opinião, mas por, na condição de deputado, incentivar a desordem institucional, propor ditadura, atacar a Constituição. Abusou da imunidade.

  
SÓ RATOEIRA
Se, com a prisão do deputado Daniel Silveira (PSL-RJ), o STF quer mostrar que não vai tolerar mais atos que ponham em risco a ordem constitucional, então deveria também começar a enquadrar comunicadores que defendem a implantação de uma ditadura. Como fez Ratinho na Massa FM, rádio que é proprietário. Trata-se de concessão pública. Absurdo inaceitável. Chega.


CONTA OUTRA
Protagonista do golpe jurídico-parlamentar-midiático de 2016, lavajatista de origem, a Folha acha que todo brasileiro é idiota. Só agora se diz surpreendida com a pressão dos militares sobre o STF, em 2018, para manter Lula preso, como se não soubesse do arbítrio e não o tivesse apoiado. Se diz assombrada com Daniel Silveira, que ajudou a produzir. Muita hipocrisia.