Temer perdoa bancos e penaliza o cidadão

Postado: 09 de Agosto de 2017 - 15h28

É para lamentar e criar forças para exigir a saída de Temer da presidência. Os bancos estão entre os que mais devem à União. Cerca de R$ 150 bilhões. Mas, o governo, ao invés de cobrar, perdoa as dívidas. Pior. Ainda corta direitos do trabalhador, achata salários, acaba com programas sociais.

Nos últimos três meses, Bradesco, Itaú e Santander tiveram R$ 30 bilhões em dívidas perdoados. Dinheiro do povo que poderia ser investido em áreas como saúde, educação, segurança pública, infraestrutura e até na Previdência que Temer também quer acabar. 

O Santander teve anistia de R$ 338 milhões referentes à cobrança de Imposto de Renda Pessoa Jurídica e CSLL (Contribuição Social sobre o Lucro Líquido). Não custa lembrar que o Itaú teve R$ 25 bilhões perdoados pelo Carf (Conselho Administrativo da Receita Federal), em apenas uma canetada. 

Com o Bradesco, o governo Temer foi ainda mais longe. Utilizou a Ativos, empresa controlada pelo Banco do Brasil, para comprar R$ 4 bilhões em dívidas de carteira de crédito. Quer dizer, ao invés de cumprir o papel social, a instituição age para atender a interesses privados. Em nenhum país sério do mundo essa bondade aconteceria. 

 

Outras Noticias

Jornal

Enquete

Qual é a maior mentira do governo Temer?

Resultado

Publicações Especiais

Retrato do Adoecimento no Setor Bancário