• Bancos
  • Financeiras e terceirizadas

Fenacrefi apresenta nova proposta aos financiários

A Fenacrefi (Federação das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento) finalmente apresentou uma proposta possível de ser avaliada pelos financiários. O reajuste salarial deve ser de 9% neste ano. Para os vales alimentação e refeição, as empresas propuseram 12% e a PLR (Participação nos Lucros e Resultados), 11,9%.


A proposta, apresentada na negociação desta quarta-feira (05/10), prevê ainda o pagamento de um abono do vale alimentação no valor de R$ 800,00 e a manutenção das questões sociais. A categoria tem data-base em 1º de junho e a inflação do período foi de 11,9%.


Para 2023, o reajuste salarial e as demais cláusulas devem contemplar o INPC do período (junho de 2022 a maio de 2023) mais 0,3% de aumento real. A exceção é a PLR que deve ser reajustada pela inflação. 


Agora, os financiários devem avaliar a proposta em assembleias. A orientação da representação dos trabalhadores é pela aprovação. Em caso de aceitação, a antecipação da PLR deve sair até 10 dias após a assinatura da CCT (Convenção Coletiva de Trabalho).


Evolução  
Embora os financiários tenham data-base em 1º de junho, a primeira proposta foi apresentada somente em 31 de agosto com muitas perdas. Além de querer fechar acordo de um ano apenas, a Fenacrefi propôs 8% de reajuste salarial para uma inflação de 11,9%. 


Na negociação de 22 de setembro, ofereceu 8,5% para os salários e 9% para os vales alimentação e refeição. Para 2023, queriam apenas a reposição da inflação. As duas propostas foram negadas já na mesa.

Últimas notícias

Pontapé nas negociações dos financiários 

Financeiras e terceirizadas

Pauta dos financiários entregue à Acrefi

Financeiras e terceirizadas

Financiários aprovam minuta de reivindicações

Financeiras e terceirizadas