COLUNA SAQUE

Postado: 31/07/2020 - 12:24

QUE HORROR!
É triste, revoltante constatar o quanto o país regrediu em termos de civilidade com Bolsonaro. O Ministério da Justiça espiona funcionários públicos que se opõem ao fascismo. Em qualquer lugar do mundo é mérito, mas no Brasil é “crime”. Tem mais, o presidente e todo o governo defendem fake news com o cínico argumento de liberdade de expressão.

BOM REMÉDIO
Institucionalmente, a resistência democrática tem conseguido avanços, em especial no STF. Mas, é fundamental, enquanto há tempo, acelerar o passo para conter o projeto de poder da extrema direita bolsonarista, que usa a potência do Estado para perseguir e criminalizar inimigos políticos. As fake news engordam o neofascismo, desidratam a democracia. Constituição neles.

BENZA DEUS
A carta assinada por 1.158 padres, em apoio ao documento de 152 bispos e arcebispos contra o governo Bolsonaro, reafirma a posição cada vez mais hegemônica dentro da Igreja Católica por uma ação mais efetiva no combate ao neofascismo. O texto condena veementemente a adoção de uma “economia que mata, centrada no mercado e no lucro a qualquer preço“.

UMA CORREÇÃO
Grande equívoco chamar os bolsonaristas de conservadores. Defender a lei do mais forte, tortura, assassinato de opositores e genocídio, espalhar fake news, odiar pobre, preto, índio, mulher e gay não tem nada a ver com conservadorismo. São reacionários, nazifascistas, nocivos à humanidade e a civilidade. Indignos, pois têm consciência dos males que causam.

NA ESPERA
Hoje acaba o recesso do Judiciário e duas decisões são aguardadas com expectativa pela sociedade. O STJ (Superior Tribunal de Justiça) decide se mantém ou suspende a prisão domiciliar de Queiroz e a mulher, um privilégio que revoltou o Brasil. O STF (Supremo Tribunal Federal) define sobre a obrigatoriedade de a Lava Jato compartilhar informações com a PGR.