Notícia

[Categoria aprova minuta e defende mais unidade]

Categoria aprova minuta e defende mais unidade

Postado dia: 04/07/2020 - 14:09

A categoria sabe que toda campanha salarial é difícil. Os bancos e o governo endurecem na hora de negociar direitos. Mas, este ano os desafios são ainda maiores diante da crise sanitária, política e econômica do país. O assunto foi debatido na 22ª Conferência dos Bancários da Bahia e Sergipe, neste sábado (04/07).

Os delegados aprovaram a minuta de reivindicações e a delegação que vai para a Conferência Nacional dos Bancários. Quem conduziu a exposição foi o presidente da Federação dos Bancários da Bahia e Sergipe, Hermelino Neto. Ele lembrou que apesar das Medidas Provisórias de Bolsonaro, a mobilização dos trabalhadores garantiu a ultratividade da CCT, que assegura à categoria os direitos da atual Convenção Coletiva de Trabalho até o final de 2020.

Para Hermelino Neto, a unidade é o mais importante nesta campanha. “Temos um inimigo poderosíssimo, que é o governo Bolsonaro. A democracia está atacada e a soberania nacional, ameaçada”.

A defesa do emprego é um dos destaques da campanha. Apesar da lucratividade bilionária, os bancos seguem com as demissões. Em 2019, o setor bancário extinguiu 9.463 vagas. E este ano, mesmo com a pandemia e o compromisso de não realizar desligamentos, tem empresa que descumpre o acordo. É o caso do Santander, que já dispensou cerca de 400 bancários em todo o país. 

Além das demissões, os bancos também fecham agências. No Brasil, quase metade das cidades não tem uma unidade (2.340), o que corresponde a 42% do total de 5.570 municípios. E se depender da ideia das empresas, a situação pode piorar.

Adotado durante a pandemia, o teletrabalho pode se tornar permanente no setor bancário. Isso porque as empresas têm reduzido consideravelmente o custo e querem se aproveitar disso para lucrar mais. Como se precisasse. No primeiro trimestre de 2020, os ativos totais dos cinco maiores bancos do país somaram R$ 7,36 trilhões e superaram o PIB (Produto Interno Bruto) brasileiro, que foi de R$ 7,3 trilhões em 2019.

Os debates da Conferência Interestadual também incluíram aumento real; PLR (Participação nos Lucros e Resultados); sindicalização eletrônica; crédito com juros baixos para impulsionar o crescimento econômico e a distribuição de renda; defesa dos bancos públicos e da democracia; saúde e condições de trabalho; além do apoio às candidaturas nas eleições municipais de 2020 que defendam os direitos dos trabalhadores e das estatais.