COLUNA SAQUE

Postado: 15/09/2020 - 11:09

FOTOCÓPIA
Para entender o ultraliberalismo, o neofascismo e Bolsonaro. O governo que deu R$ 1,2 trilhão aos bancos e agora está dando mais R$ 325 bilhões, vai cortar R$ 10 bilhões nos benefícios de deficientes e idosos, reduziu o auxílio emergencial de R$ 600,00 para R$ 300,00 e diminuiu o salário mínimo. Alega não ter dinheiro. Resta dizer para quem.

SURREAL
Brasil de arque. General vira ministro e bota a saúde para marchar. A pandemia acabou. Lava Jato inventa novo processo contra Lula. Governo toma R$ 10 bilhões dos idosos e deficientes e diz que é para o bem deles. Fim da reeleição. A mídia é imparcial. Só tem fake news, cujo processo, aliás, caiu no esquecimento. Acabou a mamata. Faz arminha que passa.

ORAÇÃO
Além da desfaçatez para agradar a base evangélica e outros, ao vetar o perdão da dívida de mais de R$ 1 bilhão das igrejas com a União e indicar, publicamente, a derrubada do veto aos parlamentares governistas, o presidente deixa em situação delicada os deputados da oposição que votaram a favor da anistia. E agora, vão votar com Bolsonaro? Só orando.

REZA
As polêmicas, controvérsias e a repercussão da anistia da dívida das igrejas evidenciam a necessidade de revisão na lei. Estabelecer novas regras para evitar evasões e sonegações. Até porque, com exceções, claro, a religião tem sido usada como lucrativo mercado da fé. Algumas passam bem longe do que seja uma “entidade sem fins lucrativos”, como reza a legislação.

RESPONSABILIDADES
A aliança de Ciro Gomes (PDT) com ACM Neto (DEM) visando 2022 e o discurso de candidato feito por Lula no dia da Independência confirmam as dificuldades para uma composição ampla entre as forças democráticas e antifascistas capaz de derrotar Bolsonaro e a extrema direita. A história, sem dúvida, apontará os equívocos e acertos.