COLUNA SAQUE

Postado: 05/08/2022 - 11:30

LEGALIDADE
Sob a presidência de Josué Gomes da Silva, filho de José Alencar, que foi vice de Lula, a Fiesp continua capitalista, mirando o lucro, mas sem aquela postura golpista da época de Paulo Skaf, que em 2016 chegou a produzir um pato amarelo, em apoio ao golpe do impeachment. O momento é outro e isto fica claro no manifesto pela legalidade. Sem dúvida, um avanço.

 

RECADO
“É natural que a Fiesp assine um manifesto em defesa da democracia, já que não existe liberalismo, economia de mercado ou propriedade privada, valores tão caros à entidade e ao setor industrial, sem que exista segurança jurídica, cujo pilar essencial é a democracia e o Estado de direito”. De Josué Gomes da Silva, presidente da federação. Recado para Bolsonaro.

 

CONSTATAÇÃO
Para se ter noção do peso do manifesto da Fiesp, os signatários constituem cerca de 40% do PIB brasileiro. Não que as elites sejam boazinhas ou mesmo democráticas, afinal elegeram Bolsonaro e ele se mantém servil ao capital. Só que o presidente tem forte vocação autocrática, ditatorial, e isto, na conjuntura atual, prejudica os negócios, os lucros. Sem ilusão.

 

INSULAMENTO
Mais dados que comprovam o isolamento de Bolsonaro e generais governistas nos ataques às urnas eletrônicas. Como mostra a última pesquisa Quaest-Genial, 83% dos brasileiros exigem que ele aceite o resultado da eleição e até mesmo entre os seus eleitores, 68% desaprovam as ameaças ao processo eleitoral. “Sem lenço e sem documento”.

 

MEMORÁVEL
A morte de Jô Soares empobrece o humor brasileiro, que hoje tenta resistir e se renovar em momento difícil, marcado pelo ódio e o negacionismo bolsonaristas. Sempre bom lembrar ter sido uma das vozes a denunciar o golpe jurídico-parlamentar-midiático de 2016, mesmo trabalhando na golpista Rede Globo. Contribuiu para a democracia e a cidadania.