COLUNA SAQUE

Postado: 10/09/2021 - 12:21

PERICULOSO
Mesmo desmoralizado e humilhado, Bolsonaro continua a representar sério risco à democracia. Todo cuidado com ele é pouco. Também está na hora de o STF partir para cima de empresas e empresários que financiam e estimulam planos golpistas, ataques às instituições e autoridades, sustentam a milícia virtual e as fake news em massa. Contra o neofascismo, a lei.

 

EMBROMAÇÃO
Quem quiser que acredite na versão paz e amor de Bolsonaro, que depois da tentativa fracassada de golpe quer enganar a nação com carta redigida pelo traíra Temer, prometendo respeitar a Constituição e as instituições. Inclusive, horas após ele já voltava a defender voto impresso, rejeitado pelo Congresso, e a atacar Roberto Barroso, presidente do TSE. Tapeação pura.

 

ARDIL
Ninguém se engane, Bolsonaro quer ganhar tempo para rearticular a base neofascista, desnorteada após o fracasso do plano golpista no 7 de setembro e da humilhação pública, que o obrigou a pedir desculpas à nação e a se retratar com o ministro Alexandre de Moraes, do STF. Mas, não vai desistir do golpe, por ser o único caminho para ele e os filhos escaparem da prisão.

 

DELETÉRIOS
O restabelecimento da legalidade no Brasil, ameaçada por Bolsonaro, passa, necessariamente, pelo enquadramento, dentro da lei, de meios de comunicação e supostos profissionais que vivem a atacar as instituições e disseminar fake news, desinformando e deformando a sociedade, como Jovem Pan, Rede TV!, Augusto Nunes, Alan dos Santos e tantos outros.

 

OUTRO?
A proposta de permitir que três candidatos disputem o segundo turno da eleição presidencial é tentativa de outro golpe branco, lawfare, diante do fracasso da tal candidatura da 3ª via e da liderança absoluta de Lula em todas as pesquisas. Igual à fraude do impeachment em 2016 e a prisão ilegal de Lula em 2018. O golpismo está na gênesis das elites nativas.