COLUNA SAQUE

Postado: 06/05/2022 - 10:35

DOLOSAMENTE
O meio mais eficiente de barrar o plano golpista de Bolsonaro é a construção, imediata, de ampla frente nacional em defesa da democracia, reunindo distintas forças políticas, da esquerda ao centro direita. Para isso é fundamental que as elites, principalmente econômicas, se posicionem pela legalidade. Não têm feito isso. Em troca do lucro aceitam o neofascismo.

 

INDISCUTÍVEL
"Ninguém mais tem o direito de duvidar de que setores das Forças Armadas, em concerto com o presidente Jair Bolsonaro, estão empenhados em impedir a posse de Lula caso vença as eleições de outubro. Chega de fingir normalidade!". Do jornalista Reinaldo Azevedo, um liberal que reconhece o impeachment como golpe de Estado. O Brasil em regime de exceção.

 

DESENCAIXE
Muito estranha a versão da mídia, inclusive à esquerda, de que ano passado, quando esteve no Brasil, o diretor da CIA, William Burns, teria aconselhado Bolsonaro a suspender os ataques ao sistema eleitoral. Ora, o maior beneficiado com a agenda ultraliberal são os EUA. O fim das hostilidades só favorece Lula e a democracia social. Algo não encaixa.

 

FIDEDIGNO
Pois é, tirando a inveja dos bolsonaristas, lavajatistas e da direita dita não negacionista com a manchete da revista Time, Lula fez uma abordagem coerente e realista sobre a guerra na Ucrânia, ao afirmar que Zelensky, Putin, EUA, Otan e UE são todos responsáveis pela escalada do conflito, pois priorizaram as armas em vez da diplomacia. Análise certeira.

 

DESUMANO
A asquerosa declaração da ministra Damares Alves sobre o estupro e morte de uma menina yanomami de apenas 12 anos por garimpeiros - “Lamento, acontece todo dia” -, comprova o desprezo do governo Bolsonaro pelos direitos humanos, que ela diz ministrar. O neofascismo bolsonarista odeia povo, pobre, índio, negro, LGBT, enfim tudo que expresse humanidade.