COLUNA SAQUE

Postado: 12/05/2022 - 10:04

ARGENTARISMO
Comédia de mau gosto, a “irritação” de Bolsonaro com os escandalosos e constantes aumentos nos combustíveis. Não engana ninguém. O povo sabe que é tudo encenação. Na realidade, embora como presidente tenha poder para mudar a política de preços, não fará porque foi eleito e é mantido justamente pelos que ganham fortuna com o sofrimento do povo. Plutocracia.
 


PENÚRIA
Não em vão Lula lidera todas as pesquisas. Consequência da situação periclitante da economia e da penúria em que vive a maioria da população, os pagamentos com cartões de crédito aumentaram 42,4% no primeiro trimestre. A maior parte débitos com necessidades básicas como alimento, aluguel, luz, água, remédios e outros. A agenda ultraliberal é não humana.


 
ASSOMBROSAS
As cenas de sessões de descarrego feitas por pastores evangélicos em espaços do Estado, como ocorreu no Planalto, com aquela cena patética de Michele Bolsonaro, e agora no Palácio das Laranjeiras, com o governador do Rio, Cláudio Castro, entre outras, reafirma o perigoso caminho que tem sido imposto ao Brasil, de misturar política com religião.  Nunca deu certo.


 
DEFENESTRAÇÃO
Sem clichê ou viés messiânico, mas a real é que a vida pune. A adulteração dos fatos sempre termina por se revelar, mais cedo ou mais tarde. Vide Moro, Dallagnol, Cunha e agora os desembargadores do TRF4 comparsas na condenação de Lula sem provas. Gebran Neto, Leandro Paulsen e Victor Laus foram defenestrados na escolha de dois nomes para o STJ. Indignos.


 
PRECISA?
Ao mesmo tempo que se diz irritado com os aumentos nos preços dos combustíveis, Bolsonaro nomeia para o Ministério das Minas e Energia Adolfo Sachsida, defensor radical da privatização da Petrobras, comprometido com os acionistas, indiferente às agruras do povo, autor de frases como “Pinochet é de esquerda” e “China é uma merda”. Precisa desenhar?