COLUNA SAQUE

Postado: 19/02/2021 - 11:36

ESPERANÇA
O STF deixaria a sociedade esperançosa se, além da atitude tomada agora contra o deputado neofascista Daniel Silveira, em nome da ordem constitucional também julgasse a suspeição de Moro. Vai empurrar o problema com a barriga até quando? Passou da hora de tomar uma atitude. Afinal, o caso influenciou a eleição presidencial e violou a vontade popular.
 
REFERÊNCIA
Em toda sociedade, nota-se forte sentimento e muita pressão dos segmentos democráticos, de esquerda e de direita, para que o caso Daniel Silveira seja tratado de forma exemplar, acima de tudo para conter outros arroubos neofascistas e reforçar o movimento pela retomada da ordem constitucional. A imunidade não autoriza o parlamentar a atentar contra a Constituição.
 
ENTREGUE
Queria Daniel Silveira (PSL-RJ) que a prisão fosse o maior problema. Ele vai precisar de apoios influentes, ainda assim por “debaixo do pano”, para se livrar da cassação. Não convém ao governo uma crise institucional agora. Bolsonaro nem tocou no assunto na live de quinta-feira. A extrema direita é assim, quando suja, não hesita em queimar o arquivo. Vide Eduardo Cunha.
 
PRIVILÉGIOS
As imagens de Daniel Silveira passeando livremente pelo pátio da prisão da Polícia Militar, no Rio, inclusive todo sorridente, batendo papo com admiradoras e fazendo mais ataques ao STF, mostra o tratamento privilegiado dado ao deputado, ex-PM. Em todo Brasil, a grande maioria dos policiais faz questão de demonstrar apoio ao governo Bolsonaro.
 
POLICIALESCO
O neofascismo negacionista, que só sobrevive em ambiente de confronto permanente, é consequência do ultraliberalismo. O capitalismo industrial precisava de estabilidade e paz para tocar os negócios, mas o projeto de poder ultraliberal, centrado na financeirização, necessita da tensão, da guerra, para justificar o Estado policial, a repressão. Por isso odeia tanto a democracia.