COLUNA SAQUE

Postado: 22/05/2020 - 13:36

UMA MERRECA

Detalhe importante. As três parcelas do auxílio emergencial de R$ 600,00 cada, pagas na maior pirraça e humilhação a 79,9 milhões de brasileiros que necessitam da ajuda do Estado para sobreviver na pandemia, vão custar R$ 154,4 bilhões. Esse valor representa apenas 12%  da “ajuda” de R$ 1,26 trilhão que  Bolsonaro e Guedes estão dando aos bancos. Plutocracia.

 

É..., FINALMENTE

Enfim uma ação institucional para moralizar a distribuição da verba de publicidade do governo, que sempre foi feita com base política e ideológica. A PFDC (Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão) pediu ao MPF que investigue o secretário de Comunicação Fábio Wajngarten e obrigue a Secom a adotar critérios técnicos no plano de mídia.

 

ARMA PODEROSA

A lei define claramente critérios técnicos para a distribuição das verbas publicitárias oficiais. E os governos, bem ou mal, sempre cumpriram. Mas, Bolsonaro transformou tão influente ferramenta em arma política. Quem não o apoiar incondicionalmente não recebe nada. Estranho é que as instituições e os próprios meios de comunicação nunca reagiram à altura.

 

QUE NÍVEL!

Inacreditável. Enquanto técnicos capacitados saem em grupo do Ministério da Saúde por causa da imposição de Bolsonaro para a prescrição massiva da cloroquina, as vagas são ocupadas por militares e, o que é pior, até por advogado de milíciano. Indicado a uma assessoria, Zoser Plata de Araújo defendeu um ex-PM condenado pelo assassinato da juíza Patrícia Acioli.

 

PRISÃO NELES

Onde estão o MPF, o STF, a polícia e outros órgãos? Criminosamente, supostos pastores evangélicos “vendem” cura milagrosa para Covid-19. Aproveitam a pandemia para roubar pobres fiéis. Valdemiro Santiago, da Mundial, impõe a compra de semente de feijão “abençoado” por R$ 1 mil e RR Soares, da Graça de Deus, água curativa. Impunemente. Um escândalo.