COLUNA SAQUE

Postado: 13/01/2021 - 12:27

SEM TROCADILHO
Ao comentar o fim das operações da Ford no Brasil, que afeta diretamente a Bahia, onde a indústria tem, ou melhor, tinha unidade em Camaçari, o governador Rui Costa disse que Bolsonaro só se importa com o agronegócio e está transformando o Brasil em uma “grande fazenda”. Sem trocadilho com o fato de os bolsonaristas serem chamados de “gado”.
 
BOAS PROVAS
Por imposição do STF, desde segunda-feira que a PF, hoje majoritariamente dividida entre bolsonaristas e lavajatistas, entregou à defesa de Lula aquelas conversas imorais entre Moro e Dallagnol, reveladas pelo Intercept. Na prática, o reconhecimento de que o julgamento foi uma farsa. A notícia teve espaço praticamente zero na mídia comercial.
 
E AGORA?
Ano passado, o ministro Gilmar Mendes, do STF, disse que só colocará a suspeição de Moro em julgamento em sessão presencial, após a pandemia. Bom, como o Brasil vive uma segunda onda da doença, tão ou mais devastadora do que a primeira, o processo vai continuar engavetado por muito tempo. Bolsonaro não existe e sobrevive por geração espontânea.
 
DOIS PESOS
Dói muito ver Bolsonaro cometer tanto crime de responsabilidade e continuar impune. No capitalismo periférico, como é o caso do Brasil, a direita e a extrema direita fazem o que bem entendem e não dá nada. A lei e o Estado existem para servi-los. Dane-se o povo. É da natureza do sistema. Já com as forças populares, rigor total. Que o digam Lula e Dilma.  
 
NA GÊNESIS
Criminalização dos movimentos sociais, reprimidos como casos de polícia, excludente de ilicitude - licença para matar -, tentativa de transferência, dos estados para a União, do controle das policiais Civil e Militar. O ultraliberalismo precisa do Estado policial, do neofascismo, para tratar os pobres e os desempregados como indesejáveis, passíveis de eliminação.