COLUNA SAQUE

Postado: 09/09/2021 - 10:44

ATITUDE
Neste momento delicado, o Brasil carece da firmeza dos democratas, institucional e politicamente. Se as elites políticas e econômicas quiserem, o impeachment é aprovado em caráter de urgência urgentíssima. Arthur Lira (PP-AL), o presidente da Câmara Federal, se dobra na hora. Até porque sempre foi um covarde invertebrado. Falta atitude dos donos do poder.
 
IMEDIATAMENTE
Passou da hora de ir além das notas de repúdio. Diante da escalada das ameaças à democracia, da anarquia e do clima de tensão que tomou conta do país, o impeachment tornou-se imperativo. Também se faz necessária a prisão dos mandantes, financiadores e executores de atos atentatórios à legalidade. Imediatamente. Doa em quem doer.
 
DESORDEM
Com a Esplanada dos Ministérios ainda ocupada por ativistas do neofascismo bolsonarista, caminhoneiros fechando estradas, tentativas de invasões de órgãos públicos e setores da mídia como Jovem Pan e Rede TV! insuflando a desordem, não se pode dizer que o país voltou à normalidade, se é que já teve algum dia com Bolsonaro. A ameaça de golpe continua.
 
FALSIDADE
Só mesmo muita ingenuidade, pior, tolice, para acreditar na sinceridade do pedido de Bolsonaro para que os caminhoneiros, ou melhor, os donos de empresas do setor, que estão bancando tudo, acabem os tumultos nas estradas, Brasil afora, com sérios prejuízos para toda a sociedade. O caos faz parte da estratégia de poder do neofascismo bolsonarista. Governo fake.
 
CONSENSO
É lamentável que, diante de todo risco à democracia, a tal direita perfumada, que ajudou a eleger o neofascismo e agora se diz arrependida, continue brigando com as forças progressistas pelo comando deste ou daquele ato por Fora Bolsonaro. A conjuntura impõe unidade, consenso nacional suprapartidário e ideológico em defesa da Constituição Cidadã.