COLUNA SAQUE

Postado: 29/04/2022 - 17:51

MUNDIALMENTE
Além da fabulosa vitória internacional que, com certeza, será capitalizada na campanha eleitoral, o reconhecimento pela ONU de que Lula foi vítima de perseguição política e não teve um julgamento imparcial confirma o uso do sistema de justiça - Judiciário e MPF - em favor de um projeto de poder neofascista que levou Bolsonaro à Presidência. Lawfare desmascarado.


 
COMPROVADO
"Acho que os juízes do TRF4 foram mais venais do que Moro e têm mais responsabilidade em tudo. Eles manipularam a dosimetria da pena para evitar prescrição. Manipularam a agenda de votação para passar o processo do Lula para frente. Não leram os autos e copiaram a sentença do Moro". Opinião do historiador Fernando Horta. Tem toda razão.
 

 

DESABANDO
A Lava Jato desmorona e expõe a imundície da operação. No mesmo dia quando a ONU considerou Lula vítima de um tribunal de exceção, o ministro Ricardo Lewandowski, do STF, anulou todas as decisões da juíza Gabriela Hardt no caso Torre Pituba, sede da Petrobras em Salvador, remetendo-o ao TSE. A verdade se revela, mais cedo do que se imaginava.
 

 

CRIMINOSAMENTE
Perante tudo que já se sabe com as revelações do Intercept Brasil e a Operação Spoofing, além do que tem sido descoberto ultimamente, não há dúvida. A República de Curitiba agiu como se fosse uma organização criminosa. Causou danos à economia, à democracia, à República e à soberania nacional. Tem de pagar pelo que fez, política e legalmente.

 

OXALÁ
Ao comentar o medo admitido por Bolsonaro, de acabar preso igual a ex-presidenta golpista da Bolívia, Jeanine Añez, o escritor Moisés Mendes, do Jornalistas pela Democracia, diz que se o capitão não aceitar o resultado das urnas e tentar o golpe terá um fim ainda mais trágico. Tomara, pois as elites nativas têm sido mais reacionárias do que as bolivianas. Infelizmente.